quinta-feira, 24 de junho de 2010

É na tela




É na tela que tudo recomeça
É na arte que tudo se arranja
É na tela que o pincel dança
Deixando suas pegadas e rastros
As vezes rosa, vermelho ou laranja
Na tela meus sonhos não só lembranças
São também esperança
Ou devaneio de criança
É na tela que tenho flores que jamais colhi
Que registro momentos que jamais vivi
Que trilho caminhos nunca percorridos
É na tela que eu pinto em tom claro ou escuro
Um dia de sol, um porto seguro
Para agora, para hoje ou para o futuro
É na tela que no meu céu tem mais luar
E as estrelas nunca irão se apagar
É na tela que uso as cores mais belas
As tintas espessas, sólidas ou aquarelas
É na tela que crio mares para eu navegar
E tinjo as águas que abrigam velas
Que me levam para outros lugares
É na tela que fujo livre da vida rumo a liberdade.

Nenhum comentário: