quarta-feira, 30 de junho de 2010





Eu sou mulher, não me julgo, não fujo, encaro o perigo.
Sofro o castigo porque não ouço aviso
Eu sou mulher, que te leva pro meu mar
Que te rega com minhas águas.
Eu sou mulher, que não sabe viver sem amor
Sem teu calor, sem teu sabor
Eu sou mulher, de alma pura, que exala ternura
Te ofereço uma fruta madura.
Eu sou mulher, sem frescura eu me entrego e não nego,
Eu avanço o sinal, mas, não faz mal, eu sou mulher.

Nenhum comentário: