quinta-feira, 24 de junho de 2010

Quisera





Quisera eu livre voar
Voar livre sem destino
Seguindo meu instinto
Que hoje preso reflete
Valores e medidas
Pesos e ofensas
Agressões sócias
Que ferem a alma
Que aprisionam como gaiolas
Que se fecham como labirintos
Quisera eu voar na fantasia
Como pássaros felizes
Que acompanham o vento
Porque são livres
E velozes, e levam aos poetas
Rimas, palavras que como faíscas
Brilham na escuridão
E fascinam os corações.

Nenhum comentário: