sexta-feira, 17 de setembro de 2010



Hoje na solidão que ignora meus sonhos
Eu planto desejos
E colho saudade do calor dos teus lábios
Meu vício.
Como é vazio este dia
Doce lembrança que para sorri
E insiste em dizer me que já amei
Talvez como jamais alguém amou

Nenhum comentário: