sexta-feira, 17 de setembro de 2010



Nada pintarei de mim
Nem a cela que me encerra
Nem o frio que me congela
Eu pintarei na tela
Quero pintar paisagem mais bela
Flor ou rosa, coisa singela
Minha alma se entrega
E se revela na arte
Meu espírito celebra a vida
E não nega
Minha boca leva o pincel
Que sobe, desce, escorrega
E forma pedaços, coisas pequenas
Fragmentos do universo.

Nenhum comentário: