sexta-feira, 17 de setembro de 2010



O amor tem que se despir
Esquecer o preconceito
O mais velho, o mais moço
O amor tem que gritar
Bem alto para que todos ouçam
O amor tem que sair do fundo do poço
Levante este pescoço
E grite alto, forte e grosso
O amor tem vários sabores
Tem para quem quiser
De todos os gostos
Ate mesmo os opostos
O amor é livre, solto e louco
Não precisa ameaça ou farsa

Um comentário:

EDER RIBEIRO disse...

Se há um sentido na vida, achamos-a qdo respeitamos o outro. Bjos.