sexta-feira, 17 de setembro de 2010



Pinceladas lentas
Uma pausa aqui
Outra ali
Um caminho quase infindo
Mas o pincel continua sua viagem
Indo, vindo,
As vezes tão vestido de tinta e sonhos
As vezes tão leve, cerdas nuas
Como meninas que andam nas ruas
Livres, soltas, bailando
Como se o pensamento estivesse na lua
Assim vai a inspiração
Se soltando de mansinho
Uma gota se funde a outra
E vai cobrindo a tela
De roupa mais bela.

Nenhum comentário: